Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Pterossauros’ Category

Postado por: Felipe Pinheiro

Para começar, peço desculpas pela falta de atualização no blog. As ocupações cotidianas (especialmente uma disciplina bastante exigente de Paleontologia de Vertebrados) estão tornando o tempo livre cada vez mais raro. Espero, realmente, ter tempo para me dedicar mais em um futuro próximo.

Na última semana, um grupo de pesquisadores liderado pelo paleontólogo chinês Junchang Lü, nos brindou com a descrição de um pequeno pterossauro do Jurássico Médio da província de Liaoning, China. Os fósseis de Liaoning são mundialmente famosos não só pela sua espetacular preservação (comparável à dos fósseis da Formação Santana, na Bacia do Araripe) mas, principalmente, por sua aparente potencialidade para quebra de paradigmas: o último deles foi o achado de um dinossauro relativamente distante, evolutivamente, dos terópodes com uma cobertura do que parecem ser estruturas filamentosas semelhantes a penas.

Para entender o que há de tão especial neste pterossauro (batizado, por razões provavelmente óbvias a todos, de Darwinopterus), é necessário saber alguma coisa sobre a sistemática desse grupo de répteis voadores. Os pterossauros são, de forma geral, formados por dois grandes grupos. O mais antigo deles é um grupo parafilético denominado “Rhamphorhynchoidea”. Genericamente, os pterossauros deste grupo possuem um crânio não tão comprido (quando comparado com os do outro clado de que falaremos adiante), fenestras antorbitais e nasais não confluentes, pernas curtas e fracas, ligadas entre si por uma parte da membrana alar, além de uma longa cauda com uma estrutura de tecido mole em forma de remo em sua extremidade (evidente em várias espécies).  São animais pequenos e, como é apontado por várias linhas diferentes de evidências, arborícolas.

Rhamphorhynchus, um típico pterossauro ranforrincóide

Rhamphorhynchus, um típico pterossauro "ranforrincóide". Fonte da imagem: Wikipedia

O outro grande grupo é o clado Pterodactyloidea. Tal clado é apontado como monofilétco por todas as análises filogenéticas recentes e é formado por animais de tamanhos variados (desde alguns do tamanho de um pardal até outros com o porte de um avião pequeno),  com pernas mais robustas e separadas entre si, cauda curta, metacarpais alongados, crânio comprido,  fenestras antorbitais confluentes com as nasais e pescoço longo, além de outras características.

Pteranodon é um pterossauro pterodactilóide. Fonte da imagem: Wikipedia

Pteranodon é um pterossauro pterodactilóide. Fonte da imagem: Wikipedia

Os ranforrincóides são considerados como animais basais e os pterodactilóides derivados. Como é de se esperar, não se tinha (até agora) idéia de como pterossauros pterodactilóides surgiram a partir de animais ranforrincóides. Os primeiros já surgiam no registro com todas suas características diagnósticas bem definidas.

O inesperado, no entantao, acontece. Os fósseis chineses são, infelizmente, também famosos por suas falsificações. Como acontece também no Araripe, é comum encontrar fósseis “Frankesteins”: em busca de preços melhores por suas peças, vendedores de fósseis misturam pedaços de várias espécies diferentes, “embelezando” os espécimes e ganhando mais de turistas desavisados. Algumas raras vezes, as falsificações conseguem enganar mesmo os pesquisadores. No entanto, ao contrário do que poderia ser sugerido, Darwinopterus não é uma falsificação. Mais de 20 espécimes foram encontrados, sendo referidos ao novo gênero.

O que levantou tanto interesse neste peculiar animal chinês é que ele possui características tanto de pterossauros pterodactilóides (crânio alongado com fenestras antorbitais e nasais confluentes, pescoço comprido) quanto de ranforrincóides (cauda longa, metacarpais curtos, pernas delicadas). As características parecem formar módulos, misturando planos corporais diferentes no mesmo animal: uma cabeça e pescoço tipicamente pterodactilóide e um corpo característico de ranforrincóides.

Holótipo de Darwinopterus modularis. Fonte: Lü et al., 2009

Holótipo de Darwinopterus modularis. Fonte: Lü et al., 2009

Modelos de Evoluçao Modular, onde os caracteres se distribuem desigualmente em diferentes módulos de evolução independente já haviam sido propostos e debatidos na literatura. No entanto (ao menos segundo os autores) um bom exemplo deste tipo de fenômeno não era, até então, conhecido. O que Darwinopterus sugere é que uma cabeça e pescoço tipicamente pterodactilóides tenham evoluido mais cedo e, de certa forma, independentemente do resto do corpo do animal.

É sempre perigoso usar termos como “intermediário”. No entanto, é difícil imaginar um animal que mesclasse melhor características dos dois grandes grupos e tivesse mais a dizer sobre a transição evolutiva entre eles. Como é de se esperar, todo “intermediário” gera ainda mais questionamentos, já que é possível imaginar infinitas etapas de transição entre duas espécies distintas.

Referências:

Lü, J., Unwin, D. M., Jin, X., Liu, Y. & Ji, Q. 2009. Evidence for modular evolution in a long-tailed pterosaur with a pterodactyloid skull. Proceedings of the Royal Society B doi:10.1098/rspb.2009.1603

Anúncios

Read Full Post »